Translate

domingo, 10 de dezembro de 2017

Helena Sacadura Cabral retrata nove séculos de História de Portugal, dando voz à vida de nove mulheres magníficas. Destaca a importância do poder feminino na nossa História, da fundação da nacionalidade ao fim da Monarquia.

sábado, 25 de novembro de 2017

"Abençoados os corações que se vergam porque nunca serão partidos"

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Reflexão

O tempo que, entretanto, passou sem aqui vir, passou devido ao facto de andar a ponderar se iria continuar no blogue. Cheguei a pensar em o encerrar pois, por vezes, nada tinha que merecesse mantê-lo mas decidi que iria continuar e vou aproveitar para expressar deste modo uma situação deveras preocupante: a seca extrema que afecta Portugal. moro no litoral e aqui na zona quase não nos apercebemos dessa calamidade, ainda não faltou água potável nas torneiras, as zonas verdes, jardim e zonas relvadas continuam a ser regadas, até quando? 
Ontem fui até à localidade de onde sou oriunda e deparei-me com esta triste realidade, numa zona tão fértil em água estava tudo seco, os açudes que existem, e são muitos, estavam completamente secos. A zona que faço referência é o concelho de Coruche no distrito de Santarém, tenho familiares aí a viver, sendo donos de propriedades agrícolas que precisam de água obviamente, ainda vão utilizando água dos furos, poços, mas se continuar sem chover também eles secarão, depois será utilizada a água da rede o que implica gastos avultados e utilização limitada. Fiquei profundamente triste e preocupada por ver toda a vegetação a morrer, o solo, onde a água surgia numa bonita cor azul, apresenta-se arenoso, seco e gretado.
Para que a água chegue ao subsolo e depois surja à superfície será preciso que chova durante três meses seguidos, não está previsto que tal aconteça nos próximos dias, apenas chuva ligeira para o norte, que também precisa, a seca estende-se a todo o país, mas não é suficiente para resolver o problema.
Estas alterações climáticas são assustadoras e mais ainda quando provocadas pela mão do Homem, que tenta agora inverter os danos causados à Terra Mãe, mas são demasiados atentados que me fazem pensar se não será tarde de mais. Quando uns tentam corrigir os erros, outros ainda se comprazem em os tornar mais aniquiladores.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Continuando a escapadinha

Ando muito viajada. Mais umas fotos tiradas aquando da escapadinha.








Escapadadinha


Escapadinha por três dias maravilhosos

Foz D'Égua - Arganil



Penedo de Sobreposta - Farminhão - Viseu

Termas de S. Gemil - Tondela



Ponte Romana - Figueiró do Dão - Viseu

Aldeia de Piódão- Área Protegida da Serra do Açor






Piscina natural em Foz D'Égua - Arganil

sábado, 30 de setembro de 2017

Morella












Castellón de la Plana







A imagem é tudo (Cuenca)








No reino de Filipe VI

Regressei de férias, e como já perceberam regressei de Espanha. Voltei a fazer a cansativa viagem de autocarro, ainda que fosse um bom autocarro, viajei pelas províncias de Cuenca e Castellón, nomeadamente pelas cidades de Cuenca, Peñíscola, Castellón de la Plana e Morella, em dez dias, um para ir outro para regressar, portanto oito dias para descansar num bom hotel, com idas à praia, no Mediterrâneo, com a água a 24ºC, um caldo praticamente. No primeiro dia a viagem levou-nos a Cuenca, cidade património da Unesco, é deslumbrante tanto no património histórico e cultural como no espaço natural onde se situa, por uma questão de tempo, estas visitas guiadas são sempre muito sumárias, muito ficou por ver, mais concretamente museus e interiores de catedrais e igrejas, mas apesar disso vale sempre a pena.
Ficamos a primeira noite nesta cidade, no dia seguinte seguimos rumo a Peñíscola onde ficamos alojados até ao final das férias, é uma cidade que cresceu imenso devido ao turismo, ao longo da costa foram surgindo: hotéis e apartamentos, restaurante, bar, cafés, pastelarias e lojas de artigos de Verão, por mim não teria saído de Sesimbra caso a cidade só isso oferecesse mas há muito mais, a cidade antiga que se situa numa península, daí o nome Peñíscola em castelhano em poder dos árabes desde 718, mediante um pacto passou a pertencer a Jaime I em 1233, passou para a Ordem do Templo em 1294 no reinado de Jaime II de Aragão. Aqui foi erguida a última fortaleza dos Templários 1294-1307, sendo a ordem extinta de seguida. Em 1411 o papa Luna, Benedicto XIII, transformou o castelo na sede pontifica onde morreu envenenado. Fico por aqui, vão ver ao Google. Noutro dia livre viajamos até Castellón de la Plana, a cidade capital da província de Castellón, novamente com guia, a visita ficou por alguns locais mais emblemáticos da cidade mas que gostei de visitar. Noutra visita a Morella, considerada uma das aldeias mais belas de Espanha, também ela património da humanidade, simplesmente adorei, são daqueles locais mágicos onde me sinto em casa. É uma aldeia cujas raízes se perdem no tempo, havendo vestígios de vários povos que aí se fixaram, inclusive vestígios de dinossáurios, havendo mesmo um museu a eles dedicado. Tem uma basílica que em nada fica atrás à catedral de Sevilha, a basílica de Santa Maria Maior, estilo gótico de transição séc.XIII - XV.
As portas de entrada na cidade são soberbas, aquela pela qual entrei é magnífica, a porta do Arcanjo Miguel. Citando o acimo referenciado consultem o Google caso queiram saber mais. Nos dias livres "forçei " o companheiro a fazer caminhadas, desde o hotel até à cidade antiga, até à doca e marina, coisa aí de cinco a seis Kms, uma das vezes fizemos uma de Peñíscola até Benicarló, a cidade mais próxima, com ida e volta, aprox. quinze a dezasseis Kms. Como sabem sou "maluquinha" por caminhadas e o "desgraçado" para me ver feliz lá faz o esforço mas depois "dá a mão à palmatória". reconhece o bem que lhe faz. E voltando a Espanha, julgo que se está tornando uma saga, mais um pouco e posso dizer que a conheço como a minha mão, não me importo de todo poder lá voltar mas nos intervalos poderia também fazer uma "escapadinhas" por Portugal ou ir a Paris, não hei-de morrer sem ir a Paris, um dia alguém me disse que Paris era a minha cara, tenho de confirmar isso.
Já agora informo que estávamos muito perto da Catalunha, o referendo era citado a todo o momento nas notícias, nas conversas.
Desfile de mouros e cristãos em Peñíscola



Farol do castelo

Castelo de Peñíscola
Cidade de Peñíscola
Papa Luna


Lago na cidade
Uma das guias era catalã e pelo sim, portanto estão a ver os comentários à política de "Castilha" ou seja a Madrid.