Translate

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Viagem ao lago

 Fui ontem até ao maior lago artificial da Europa, o Alqueva, e a respetiva barragem, que aprisiona a água do Guadiana, formando este belo lago .





Por momentos, enquanto olhava a paisagem, desejei estar ali, nestas minúsculas ilhas, claro que seria por tempo perfeitamente limitado, no máximo uma hora, daria para sentir-me Robinson Crusoe, e proporcionaria-me um pouco de tempo completamente só.






Aqui o Guadiana, depois da barragem, correndo calmamente até ao Algarve, mais precisamente até Vila Real de S. António, onde desagua.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Escrevi um dia, neste blogue, que procurava um manual ou um curso que me ensinasse a viver, visto que alguém muito frontalmente me disse que eu nada sabia da vida, não obtive o manual, nem ninguém me indicou o curso, mas um belo dia veio parar às minhas mãos esta revista, com o título daquilo que ansiosamente ambiciona, "saber  viver". 
Claro que é pura utopia, mas ainda assim é uma revista que ensina, senão a viver, ensina a saber usufruir da vida, a cuidá-la  e até a mimá-la, diversificando-se em várias áreas, como: saúde (física, psicológica) ; beleza, culinária e moda. 
Pode-se dizer que é outra revista feminina, e que não tem nada de novo que as outras não possam ter, portanto não servindo como manual para aprender a viver. Como se a vida se aprendesse nos livros? Apesar de tudo considero o conteúdo um pouco mais rico, e talvez  ocasionalmente  a possa  comprar.                       

sábado, 15 de setembro de 2012

Já tardava!

O povo português habitualmente tão pacífico veio para a rua manifestar-se contra o governo, a Troika, as novas medidas de austeridade, e todas as outras formas de o explorar e f....

No país inteiro o povo decidiu que era tempo de dizer basta, está cansado, humilhado, empobrecido, e sem esperança.
O governo, os seus dirigentes, se tivesse vergonha na cara, coisa que não tem, demitia-se, mas talvez o povo o force a sair, não é isto uma Democracia? Não é o povo que tem o poder?

Vamos supor que sim, que se demite, e quem virá tomar as "rédeas" deste país? Quem virá limpar a "honra" deste amesquinhado país?
Seja um governo de direita, seja de esquerda, haja alguém com ideias inovadoras para o tirar do atoleiro onde se está a afundar.

Já agora! Entre a Ditadura e a Democracia venha o diabo e escolha. Por mim punha o D. Duarte no trono. Viva a Monarquia.   
Romance perturbador.
A autor caracteriza a família, deste romance, como, e é assim normalmente, um grupo de indivíduos que ligados por laços sanguíneos,e não só, partilham tempo, espaço, e experiências, que os unem ou desunem, consoante as circunstâncias. Mas a essência do romance, a sua mensagem, é mais eloquente e precisa, caracteriza esses seres como seres profundamente individualistas e egocêntricos, que têm a faculdade inata de manterem segredos bem macabros, e aparentemente parecerem, aos olhos dos outros, seres perfeitamente ajustados à sociedade onde se inserem. 
Na verdade, penso eu, a família é mesmo um grupo de estranhos, quase sempre unidos pelo sangue, o que é irrelevante, na maioria das vezes tendo muito pouco em comum, e todos guardam segredos, que levam para a sepultura, pois seria  inoportuno divulgá-los.  

sábado, 1 de setembro de 2012

Profecia

"É impossível imaginar a altura a que se elevarão, daqui a mil anos, os poderes do homem sobre a matéria. Aprenderemos a privar da sua gravitação grandes massas de matéria, e a dar-lhe uma leveza absoluta, para facilitar o seu transporte. Diminuirá o trabalho na agricultura, enquanto a sua produção duplicará. Todas as doenças, incluindo a velhice, serão evitadas ou curadas. As nossas vidas serão prolongadas à vontade, mesmo para além do tempo que duravam antes do Dilúvio. E espero que a ciência moral também se aperfeiçoe. e que o homem deixe de ser o lobo do homem e que os seres humanos aprendam, enfim, a praticar o que chamam, agora, injustamente, a humanidade."

Carta redigida por Benjamim Franklin para Joseph Priestley, em 1780.